Meu nome é Vivian Nunes, tenho 33 anos, nasci em Dom Pedrito/RS, mas sou praticamente Porto-alegrense em razão de já viver na capital Gaúcha há 15 anos. Gosto muito de viajar e como minha última experiência fora do país foi maravilhosa, fiquei uma semana em Punta Cana (25/02/18 a 04/03/18), quis compartilhá-la com os leitores do Vai Que Viajo. É meu primeiro post aqui e estou muito motivada com a contribuição para este blog!

Punta Cana é descanso, é ficar em dúvida sobre entrar no mar ou na piscina, aproveitar o All inclusive e, se couber no orçamento, fazer passeios fora do resort.

Praia Cabeza de Toro, Punta Cana
Praia Cabeza de Toro, Punta Cana

Espero que gostem das dicas, viajantes!

 A EXPERIÊNCIA DE FICAR EM RESORT

Eu fiquei hospedada no RIU Bambu, uma famosa rede do segmento de Resorts. Em Punta Cana havia três resorts da rede RIU, sendo cada um para um tipo de público diferente. O legal é que com a pulseira do seu resort é possível entrar nos outros da rede para conhecê-los e fazer outras atividades, como ir à danceteria, ao Cassino ou ao Bingo. O que eu estava tinha um estilo mais voltado a famílias ou casais. Os outros dois da rede eram um voltado para os solteiros e o outro para um padrão mais elevado de renda. O RIU está localizado na Praia Cabeza de Toro.

Praia Cabeza de Toro, Punta Cana
Praia Cabeza de Toro, Punta Cana

Todos os dias aconteciam shows à noite. Eu percebi que o público jantava cedo e já se deslocava para curtir os espetáculos, entre eles acrobacias, danças típicas, bailarinos solos, assim como interações com o público. As atrações eram de qualidade, dava gosto de assistir. Teve um show do Michael Jackson, por exemplo, que achei melhor do que o apresentado na Coco Bongo, famosa casa espetáculos.

Show à noite no Resort
Show à noite no Resort

Durante o dia, mesmo sendo um local considerado para descanso, eu não parava: ia jogar vôlei na praia, dava um mergulho na piscina, jogava Ping-Pong e voltava para a piscina para alguma competição aquática com os outros turistas. Lá também existia uma piscina com música para quem quisesse mais animação (teve um dia que teve até espuma, a galera curtiu demais – eu também!).

O mais legal disso tudo é que durante as atividades fazemos muitas amizades, conhecendo pessoas de diferentes países e culturas.

O REGIME ALL INCLUSIVE

O All inclusive vale muito a pena! A única preocupação é escolher em qual restaurante se vai comer, pois há comida disponível 24 horas. Além disso, a variedade de comidas impressiona, não se consegue experimentar tudo, pois a cada buffet há algo novo. Lá no RIU haviam 7 restaurantes diferentes sendo, além do buffet tradicional, alguns temáticos tipo japonês, espanhol, Italiano ou de cortes de carnes especiais. A comida era muito boa!

Restaurante Espanhol
Restaurante Espanhol

Não havia necessidade de efetuar reserva, contudo para conseguir vaga nesses temáticos era preciso estar cedo para a fila, já que eram para um número limitado de pessoas/dia. Eu não consegui ir nos mais concorridos, eles abriam às 18h e nessa hora eu estava recém saindo da piscina!

Alguns restaurantes requerem uma vestimenta melhor e outros se pode ir com roupa de praia mesmo. Isso será informado pelo resort.

Vivian curtindo a vida boa de um Resort
Vivian curtindo a vida boa de um Resort

*Clique aqui para reservar sua hospedagem num Resort em Punta Cana via Booking.com. Você não pagará nada a mais por isso, mas estará ajudando o Vai Que Viajo a se manter!

PRA QUEM SE DESTINA PUNTA CANA

Para todos, pois é um lugar paradisíaco! Contudo, percebi que a maioria dos turistas presentes faziam parte dos nichos recém-casados e famílias, principalmente casais com filhos pequenos. Lembrando que esta foi a minha primeira experiência neste estilo de hospedagem e que conheci apenas esta rede, todavia creio que essa percepção pode ser generalizada para este destino.

Relax time em Punta Cana
Relax time em Punta Cana

Punta Cana é descanso, é ficar em dúvida sobre entrar no mar ou na piscina,  aproveitar o All inclusive e, se couber no orçamento, fazer passeios fora do resort.

PROS X CONTRAS DO ATENDIMENTO

Os staffs são muito atenciosos, simpáticos e cumprimentam os clientes, mesmo aqueles que indiretamente prestam os serviços, como o responsável por cuidar da limpeza dos coqueiros.

O que me constrangeu um pouco foi a questão da gorjeta, pois aqueles nos prestam serviços diretamente aos hóspedes estão acostumados a recebê-las, e pior: em dólar. Eu não tinha muito dinheiro trocado e como eles ficam esperando que você dê a gorjeta por qualquer pedido, qualquer drink, sentia-me naquela obrigação de dar o dinheiro. De todo modo, caso você não dê gorjeta em um determinado momento, não se preocupe, continuarão a atender de forma simpática.

Além disso, fevereiro é uma época cheia de americanos, para os quais o dólar é troco, no entanto para nós brasileiros é diferente, já que nosso dinheiro está desvalorizado.

Logo, à exceção dessa situação, não há reclamações acerca do atendimento.

Amizade feita com um dos staffs
Amizade feita com um dos staffs

PASSEIOS FORA DO RESORT

Fiz apenas 3 saídas do resort, as mais clássicas: noite na Coco Bongo, nado com golfinhos e Isla Saona.

Vamos a eles:

1 – Festa na Cocobongo: $80

A Coco Bongo e realmente tudo aquilo que falam: casa de espetáculos conjugado com balada! É realmente sensacional. O problema é que a casa é lotada, então esteja preparado para isso!

Para ir à Coco Bongo, participei de uma competição de dança no resort na qual fui vencedora! Meus familiares compraram o ingresso, que já incluía o transfer, de um representante da balada que organizou o campeonato no resort. A bebida, à exceção das oferecidas pelas tequileiras, está inclusa.

Noitada na Coco Bongo
Noitada na Coco Bongo

2 – Nado com Golfinhos + passeio de lancha rápida: $155 (mais $90 de fotos)

Nadar com golfinhos foi a realização de um sonho. Os animais são incríveis e é realmente uma experiência inesquecível. Contudo, é um passeio muito caro, pois além dele você acaba comprando as fotos com os registro do momento, já que não temos como entrar com câmeras no mar. Este passeio também dá direito ao mergulho com snorkel numa piscina artificial em alto mar com tubarões, arraias e outros peixes exóticos.

Nado com golfinhos
Nado com golfinhos

Além disso, você pode dar uma volta de lancha rápida (rápida mesmo) que às vezes nos passa a sensação de que vamos ser jogadas pra fora dela. Para quem gosta de adrenalina vale muito a pena! As fotos do passeio são compradas a parte e vêm num CD.

Lancha muito rápida
Lancha muito rápida

3 – Isla Saona: $80 dólares inclusos almoço e bebidas a bordos.

Sobre Ilha Saona quero dizer que é o passeio número 1! É o verdadeiro mar do Caribe, as cores dele são indescritíveis e o lugar é ainda mais paradisíaco que Punta Cana. Na volta do passeio fizemos uma pausa em alto mar numa piscina natural onde habitam estrelas do mar e ficamos tomando banho ali. O ponto negativo deste item é a distância, se leva cerca de 3h para chegar na Ilha. Lá se fica pouco tempo, em torno de mais 3 horas no total.

Isla Saona
Isla Saona

É muito provável que ao chegar no Resort algum representante da agência de turismo que tem sede nele vá falar com você para mostrar o catálogo de tours que eles oferecem. Outra possibilidade é comprar de vendedores na beira da praia – é mais barato, porém a opção que de dentro do resort parece ser mais segura em razão do vínculo dela com o hotel. Fiz os passeios com a empresa Otium e correu tudo bem, principalmente pontualidade e boa explicação acerca do funcionamento dos passeios.

Isla Saona
Isla Saona

RÁPIDINHAS SOBRE PUNTA CANA

  1. Alfândega: Quando se chega lá na alfândega tem uma taxa de $10. Descobrimos isso pesquisando nas postagens das pessoas pq a agência não tinha nos falado sobre isso.
  2.  Tomada: É necessário adquirir um adaptador de tomada. Você pode comprá-lo no aeroporto ou em lojinhas dentro do resort.
  3. Moeda: O dólar é amplamente aceito, você não precisa se preocupar em trocá-lo pelo Peso Dominicano.
  4. Empresa pra transfer e passeios: Otium.
  5. Souvenirs: São todos em dólares, então qualquer lembrancinha se torna cara.
  6. Ida em fevereiro: É uma época chuvosa, à noite ficava até um pouco fresco. O mar também não estava quente como esperado.
  7. Quantos dias ficar: 7 dias foram suficientes para aproveitar bem Punta Cana (resort e passeios).
  8.  Turistas: A maioria dos turistas que vi, fevereiro/2018, eram Americanos ou Argentinos, pouquíssimos brasileiros.
Família descansando no Resort
Vivian e Família descansando no Resort

Fim de viagem!

Espero que tenham gostado da minha experiência em Punta Cana e com ela os motivado um pouco a desfrutar deste paraíso!

Abraços,

Vivian Nunes

Instagram: @vallejosvivian

Veja aqui outras viagens feitas pelos amigos do Vai Que Viajo!