Esse passeio foi grande! E tem muita história para contar! Ele abrange um Cruzeiro pelo Rio Nilo e visitas aos templos e tumbas localizados nas cidades de Luxor e Aswan – incluindo o Vale dos Reis! No total foram quatro dias divididos da seguinte forma: um dia e meio em Luxor, um dia e meio de navegação em Cruzeiro pelo Rio Nilo efetuando-se algumas paradas e um dia em Aswan.

Dia 2

Dias 3 e 4

Antes de começar, gostaria de comentar que apesar de ser uma apaixonada pela história Egípcia focarei o post mais nas paradas efetuadas e em algumas curiosidades sobre os locais visitados do que nas questões históricas, ok? A razão é simples: são milhares de anos envolvidos e não quero arriscar contar-te algo errado ou somente pela metade.

Começando…

1º DIA: LUXOR

Luxor fica a 658 km ao sul da capital Cairo. A ida até lá se deu de avião com a companhia Nile Air. O voo durou aproximadamente 1h e, como saí cedo do Cairo, às 9h já estava em Luxor liberada para explorar as belezas da cidade. Fui recebida por um guia muito simpático, chamado Mohamed, veja o post Guia no Egito: por que é tão importante, e como somente ao meio dia seria possível fazer o check-in no Navio em que me hospedaria, fomos direto conhecer o primeiro templo.

Templo de Karnak: O templo de Karnak é o maior do Egito, ele foi dedicado a Rá – o Deus Sol. Atualmente a maior parte dele está em ruínas, entretanto, é possível termos noção da grandeza que ele teve na antiguidade.

Na recepção do templo há uma maquete retratando como ele era:

Maquete do Templo de Karnak na antiguidade
Maquete do Templo de Karnak na antiguidade

Já na entrada somos recebidos por uma fileira de esfinges com cabeça de carneiro – apesar de hoje só existirem estas poucas que aparecem na foto abaixo, na antiguidade formavam uma avenida de quase 3 km, chamada Processional, que ligava Karnak ao templo de Luxor.

Entrada do Templo de Karnak
Entrada do Templo de Karnak

O que mais chama a atenção nesse templo são as 134 colunas em formato de Papiro com aproximadamente 21 metros de altura que estão numa sala chamada Hipólita. Sobre as colunas, até hoje não há um consenso acerca da forma como foram construídas, apenas se sabe que a construção iniciou durante a dinastia do Faraó Seti I e terminou na de Ramsés II.

Gigantescas colunas do Templo de Karnak
Gigantescas colunas do Templo de Karnak

Outras informações e fotos sobre o Templo de Karnak:

  • Tem o maior obelisco do Egito, segundo maior do mundo. Dedicado à rainha Hatshepsut, foi construído em granito vermelho oriundo das pedreiras de Aswan, possui 27 metros de altura e 340 toneladas de peso.
  • Começou a ser construído em 2200 a.C e nunca foi terminado.
  • Foi templo de diversos Faraós, incluindo Ramsés II.
  • Esteve soterrado pelas areias do Saara até meados do século XVIII e até hoje está em processo de restauração.
Colunas do Templo de Karnak e o maior obelisco do Egito
Colunas do Templo de Karnak e o maior obelisco do Egito
Estátuas de Ramsés na sala de entrada do Templo de Karnak
Estátuas de Ramsés na sala de entrada do Templo de Karnak
Detalhes do Templo de Karnak
Detalhes do Templo de Karnak

Entrada: 80 L.E. em abril/2017 (aproximadamente R$15,00).

EMBARQUE  NO NAVIO QUE FAZ O CRUZEIRO PELO RIO NILO

Perto do meio dia fiz o check-in no navio chamado Princes Sara. Logo de cara deu para perceber que, apesar de ser um cinco estrelas, o porte dele e de todos os outros que fazem o cruzeiro pelo Rio Nilo não se assemelha ao dos tradicionais transatlânticos de cruzeiros, mas o importante é que tinha tudo de que eu precisava: quarto com tamanho suficiente e limpo, excelente chuveiro (também havia banheira), ar condicionado bombando e, o melhor, refeições all inclusive!

Olha que graça essa decoração da cama:

Recepção no quarto do Navio que faz o Cruzeiro pelo Rio Nilo
Recepção no quarto do Navio que faz o Cruzeiro pelo Rio Nilo

Almocei, explorei o navio e descansei um pouco pela tarde até sair para conhecer o próximo templo.

Templo de Luxor: Este templo está localizado bem no centro da cidade de Luxor e, assim como Karnak, foi destinado ao Deus sol, Rá. Começou a ser construído durante o reinado do faraó Amenhotep III por volta 1400 a.C e somente foi terminado na época de Ramsés II – o qual fez questão de exibir suas colossais estátuas logo na entrada.

O legal deste templo é ir no final da tarde para  contemplá-lo de duas formas: ainda durante a luz do dia e após o pôr do sol com iluminação artificial. A última opção confere um charme mais especial ao templo! Veja a diferença na foto abaixo:

Templo de Luxor: antes e depois do pôr do sol
Templo de Luxor: antes e depois do pôr do sol

Lembra da avenida de esfinges citada anteriormente que ligava os templos de Luxor e Karnak? Então, aqui é possível ver o que restou dela em maior número:

Caminho de esfinges do Templo de Luxor
Caminho de esfinges do Templo de Luxor

Outras informações e fotos sobre o Templo de Luxor:

  • Único templo do mundo que contem iconografias do período faraônico, greco-romanas, copta e islâmico.
  • Em 1979 foi declarado patrimônio mundial da Unesco.
  • Assim como templo de Karnak, esteve submerso pelas areias do Saara, tendo sido descoberto somente no ano de 1881.
Detalhes do Templo de Luxor
Detalhes do Templo de Luxor
Grande obelisco da entrada do Templo de Luxor
Grande obelisco localizado na entrada do Templo de Luxor
Fachada iluminada do templo de Luxor
Fachada iluminada do templo de Luxor

Entrada: 80 L.E. em abril/2017 (aproximadamente R$15,00).

FIM DO PRIMEIRO DIA

Voltamos para o Navio para jantar e participar de brincadeiras com outros turistas. Não houve navegação nesta noite, apenas a hospedagem.

Veja como foram os dias seguintes desta viagem em:

Cruzeiro pelo Nilo parte 2: Vale dos reis e início da navegação

Cruzeiro no Nilo parte final: Edfu, Kom Ombo e Aswan

Os guias que me ajudaram a realizar este sonho foram: Amir Ali Guia de turismo e Usamitas. Recomendo-os!

Saiba mais  sobre o Egito em: Templos de Abu Simbel | Cidade de Alexandria  |   Povoado Núbio  |  Pirâmides de Gizé