Hora de navegar em cruzeiro pelo Nilo! Mas calma, preciso antes relatar duas visitas muito importantes feitas ainda em Luxor: Templo de Hatshepsut e Vale dos Reis! Achou que era pouca coisa né? Essas visitas foram feitas pela manhã, à tarde sim começamos a navegar pelo belo, histórico e tão importante Rio Nilo!

A verdade é que esse dia foi incrível! Ele empata no primeiro lugar com o dia da visita às pirâmides de Gizé! Impossível decidir qual foi o melhor!

Saliento que assim como na primeira parte deste roteiro, o foco é relatar os lugares em que passei, dando informações e contando algumas curiosidades. Deixo a história para quem de fato detém o conhecimento!

TEMPLO MORTUÁRIO DE HATSHEPSUT

A primeira parada foi no templo mortuário da Rainha Hatshepsut! Ela é um ícone, foi muito mais poderosa do que as famosas Cléopatra e Nefertiti. Assumiu o poder como regente após a morte de seu marido e meio irmão, Tutmés II, em razão de o legítimo herdeiro ser menor de idade (Tutmés III). Governou o Egito por aproximadamente 21 anos (1490-1470 a.C) e, para adquirir respeito, se intitulou Faraó, adotando inclusive diversos atributos masculinos, como o comportamento, barba falsa e as vestimentas.

Templo mortuário de Hatshepsut
Templo mortuário de Hatshepsut

O Templo de Hatshepsut é magnífico, é uma daquelas construções que nos faz perguntar “como construíram isso naquela época?” Sabe por que? Porque todo ele – 3 andares – foi escavado na própria montanha que está ao fundo formada de um denso calcário e rochas sedimentares, virando essa obra de arte. Pense, por exemplo, que as colunas não foram colocadas ali, elas foram esculpidas ali, eram pura montanha!

O templo não está localizado no vale das Rainhas já que Hatshepsut, por efetivamente ter governado o Egito, ganhou o dinheiro de não ser sepultada junto das esposas reais.

Ainda é possível vermos em algumas partes do templo o que restou das pinturas originais, muito mal conservadas, infelizmente.

Detalhes do templo de Hatshepsut
Detalhes do templo de Hatshepsut

Durante o reinado, Hatshepsut fez inúmeras viagens e expedições pela região da Ásia e do mar vermelho trazendo consigo uma enormidade de espécies de plantas e animais. Montou, na época,  na parte frontal de seu templo um jardim decorado com essas plantas.

Dá para acreditar que ainda resta um pedacinho de árvore desse antigo jardim fossilizado na frente do templo?

Pedaço de árvore fossilizado datado da época de Hatshepsut
Pedaço de árvore fossilizado datado da época de Hatshepsut

Curiosidade 1: a múmia de Hatshepsut está exposta na Sala das múmias do Museu do Cairo (eu vi, é demais!).

Curiosidade 2: em 1997 houve um ataque terrorista no templo de Hatshepsut que culminou na morte de 62 pessoas, a maioria de turistas.

Valor da visita: 50 L.E. em abril/2017 (aproximadamente R$6,00).

VALE DOS REIS

A segunda parada do dia foi no Vale do Reis. Como tenho muitas dicas e informações sobre o local, destinei um post inteiro somente para ele, confira em Vale dos Reis: informações para a visitação da necrópole

LOJA DE OBJETOS EGÍPCIOS EM PEDRA

Após a visita ao Vale dos Reis fui levada pelo meu guia no Egito até uma loja que produz objetos egípcios em pedras originais chamada Thutmoses Factory. Nela há uma infinidade de objetos decorativos: animais, deuses, símbolos… É de ficar louca!

Loja de objetos Egípcios em pedrarias.
Loja de objetos Egípcios em pedrarias.

Os objetos são feitos de duas formas: lapidados à mão (mais caros) ou feitos em máquinas apropriadas (mais baratos).

É um excelente local para comprar aquele presente egípcio para si e para galera! Comprei duas peças: um Anúbis de alabastro e um irresistível gato egípcio do lápis-lazúli.

Objetos Egípcios em pedra lapidados à mão
Objetos Egípcios em pedra lapidados à mão

Aqui vale negociar muito, não esqueça disso! O gato da foto acima tem 21 cm de altura, foi lapidado à mão e custou $20 (era $60 no início da negociação). Eu não acho caro, pois pouquíssimas regiões do mundo produzem essa pedra. O Afeganistão é o maior produtor de lápis-lazúli e único local em que a pedra exibe o característico tom de azul ultramarino.

INÍCIO DA NAVEGAÇÃO EM CRUZEIRO PELO NILO

Listo! Luxor desbravado com sucesso! Hora de navegar, relaxar e curtir as belas paisagens proporcionadas por um Cruzeiro pelo Nilo! Que chiiique!

As paisagens são diferentes das tradicionais, um pouco desértica em realidade, mas não menos bonitas! É bom fugir do tradicional e enxergar outras realidades, não acham?

Paisagens da margem esquerda do Rio Nilo
Paisagens da margem esquerda do Rio Nilo
Paisagens da margem direita do Rio Nilo
Paisagens da margem direita do Rio Nilo

O navio zarpou às 14h! Tentei pegar um bronze, mas não foi possível, o sol era escaldante! Restou então descansar de baixo de um guarda sol e aprimorar o conhecimento sobre o Egito!

curtindo o cruzeiro pelo Nilo
curtindo o cruzeiro pelo Nilo

No último dia desse roteiro pude ver essa capa ao vivo, veja aqui como foi a visita a Abu Simbel.

Teve um momento no qual acordei com um pessoal gritando. Sabe o que era? Esses dois loucos da foto abaixo amarraram a canoa deles ao nosso navio e começaram a vender produtos para o pessoal que estava embarcado. Eles jogavam as peças lá de baixo e negociavam aos berros com o pessoal que estava no convés! Eu sei que disse “restou então descansar”, mas a verdade é que ninguém conseguiu dormir por muito tempo!

Venda de produtos para o pessoal do navio
Venda de produtos para o pessoal do navio

E o pôr do sol? Ah, esse sim, só ótimos comentários! Olhem que fantásticas são as imagens:

Belo pôr do sol no Rio Nilo
Belo pôr do sol no Rio Nilo
Belo pôr do sol no Rio Nilo
Belo pôr do sol no Rio Nilo

ECLUSA DE ESNA

Já à noite a navegação fez uma pausa, foi uma surpresa daquelas: iríamos passar pela eclusa de Esna!

Uma eclusa serve para que os navios possam subir e descer em locais onde há desnível no nível d’agua. É como um elevador! Uma obra fantástica da engenharia hidráulica!

Passando pelo eclusa de Esna
Passando pelo eclusa de Esna

O desnível do rio Nilo é perceptível, mesmo à noite. Nosso navio levou cerca de 20 a 30 minutos para subir até o topo e prosseguir com a navegação. Essa parte é rápida, o que demora é ficar na fila de barcos que se forma. O tempo na fila é relativo, depende da quantidade de embarcações  à espera no dia.

Eu não imaginava que passaria por uma eclusa durante o cruzeiro pelo Nilo! E como foi a primeira, fiquei muito feliz com a experiência!

Fim do segundo dia! Foi fantástico, né?

Veja como foi o 3º e 4º dia deste roteiro em: Cruzeiro no Nilo parte final: Edfu, Kom Ombo e Aswan

Saiba mais  sobre o Egito em:  Cidade de Alexandria  |  Povoado Núbio   |   Abu Simbel

Os guias que me ajudaram a realizar este sonho foram: Amir Ali Guia de turismo e Usamitas. Recomendo-os!