Fazer uma conexão em Pequim parece excitante num primeiro momento. Daqui a pouco a fixa cai e você pensa, meu deus é a China, e um certo nervosismo bate à porta. Temos ideia de alguns pontos turísticos por fotos, mas como será, de fato, se deslocar sozinho num país de cultura tão diferente da nossa, onde o idioma é uma barreira e não temos acesso os serviços no nosso amigo Google?

Centro de Pequim
Centro de Pequim

Fique tranquilo! Com calma quase tudo se ajeita!

O QUE SÓ DESCOBRI EM PEQUIM

As coisas não vão funcionar como você imagina em relação ao tempo previsto para cada atividade. As duas principais causas para sua perda de tempo são: o forte esquema de segurança existente na cidade, e, lógico, a grande quantidade de pessoas visitando os pontos turísticos – em absoluta maioria os próprios Chineses.

Sobre a questão da segurança, em todas as estações de metrô e de alguns pontos turísticos você passará por um detector de metais e/ou sua bolsa pelo raio-X. Ou seja, você perderá tempo com essas paradas, principalmente porque filas são formadas.

10 LOCAIS VISITADOS DURANTE 15H DE CONEXÃO EM PEQUIM:

  1. Praça da Paz Celestial.
  2. Mausoléu de Mao Tsé-Tung.
  3. Cidade Proibida.
  4. Parque Jingshan.
  5. Hutongs.
  6. Restaurante “Chinês”.
  7. Templo de Confúcio.
  8. Templo Lama.
  9. Rua Wangfujing.
  10. Centro de Pequim.

PARTE DA MANHÃ

Desci na estação Qianmen do metrô que fica no começo da Praça da Paz Celestial. O primeiro monumento que você avistará é o Mausoléu de Mao Tsé-Tung. Mao Tsé-Tung foi um importante líder Chinês responsável por implantar em 1949 o sistema comunista no país, proclamando a República Popular da China, a qual governou até sua morte em 1976.

Este era para ter sido o primeiro item visitado do roteiro. “Era” porque desisti de entrar ao perceber o tamanho da fila que havia. Seria necessário gastar horas na fila para ver o corpo do ex-líder Chinês por alguns segundos, deixando de descobrir outros locais interessantes de Pequim.

Ao redor da praça da Paz Celestial você pode conhecer a Sede do Congresso Chinês, o Museu Nacional da China e o monumento aos Heróis do Povo.

Praça da Paz Celestial, Mausoléu e Monumento aos Heróis do Povo
Praça da Paz Celestial, ao fundo Mausoléu e Monumento aos Heróis do Povo

Importante: No mausoléu é proibida a entrada de bolsas e equipamentos fotográficos. Na rua lateral à Praça da Paz Celestial há um espaço onde você poderá deixar seus pertences. O local é similar a uma central de atendimento ao turista, ali você encontrará algo similar a uma imensa chapelaria e venda de ingressos e tours. Encontrei aqui um atendente que falava inglês o qual me explicou o funcionamento do mausoléu. Com ele também comprei o ingresso para a Cidade Proibida, evitando as filas na bilheteria.

Congresso Nacional do Povo, Pequim
Congresso Nacional do Povo, Pequim

Na outra ponta da Praça da Paz Celestial está a Cidade Proibida, local mais simbólico e visitado de Pequim. A cidade é um imenso complexo de construções que serviram de residência oficial para as dinastias Ming e Quing durante séculos.

Cidade Proibida
Cidade Proibida

A Cidade Proibida:

  1. foi construída de 1407 a 1420.
  2. tem esse nome porque apenas o imperador, sua família e os empregados podiam entrar no complexo.
  3. somente deixou de ser um local fechado ao público em 1925, quando passou a ser o Museu do Palácio, abrindo suas portas para visitação.
  4. foi declarada Patrimônio Mundial da Unesco em 1987.

Conexão em Pequim: Seguindo com a caminhada

Logo atrás da Cidade Proibida está o Parque Jingshan, local que ainda guarda um dos jardins imperiais de Pequim. Seu principal atrativo é um mirante localizado no ponto mais alto que fornece uma vista panorâmica da Cidade Proibida.

 Parque Jingshan
Parque Jingshan

Na primeira foto acima você consegue ver o Mirante ao sair da Cidade Proibida. As demais são as vistas fornecidas a partir dele.

Saindo do parque fui em direção aos Hutongs, regiões muito antigas, com condição de vida simples, onde milhares de habitantes de Pequim vivem. Mantêm-se na total contramão do desenvolvimento Chinês. Cuidado, pois por ser uma região cheia de vielas e sem sinalização é muito fácil se perder.

Hutongs, Pequim
Hutongs, Pequim

ALMOÇO EM RESTAURANTE “CHINÊS”

Eu fiz questão de separar o almoço porque ele é um episódio a parte. Imagina se há algum restaurante com cardápio em Inglês para a gente olhar? Percorri alguns locais, todos eles apenas tinham o cardápio em Mandarim. Quando havia foto, não era possível identificar a composição da comida e os atendentes, of course, não falavam inglês.

Cardápio em mandarim
Cardápio em mandarim

Perdi um bom tempo procurando um restaurante em que fosse possível saber o que se estaria comendo. Entrei num que estava bem cheio cujo cardápio apresentava algumas fotos mais interessantes. Naquela loucura toda, a atendente me levou até a mesa, que para surpresa, já era a mesa de outras pessoas. Sentei e ficamos todos ali nos olhando! Acho que para os Chineses deve ser normal dividir a mesa em restaurantes com desconhecidos. Detalhe é que a atendente nunca mais voltou para me atender e em meio àquele mundaréu de pessoas, fui embora. Foi bizarro!

Finalmente achei um restaurante mais simples onde a dona falava um pouco de inglês e consegui pedir uma massa com frango. O sabor e a textura eram bem diferentes do que estamos acostumados aqui no Brasil.

TARDE

Confesso que fiquei um pouco perdida com essa função de achar algo para comer. Seguindo a orientação da dona do restaurante fui caminhando até o Templo de Confúcio. Foi uma pernada, mas interessante para ver a movimentação e o comércio pela avenida movimentada. Veja a lojinha abaixo:

Conexão em Pequim
Conexão em Pequim

O templo de Confúcio e Lamas estão bem próximos. A primeira parada feita foi no Templo de Confúcio.

"O silêncio é um amigo que nunca trai". Confúcio.
“O silêncio é um amigo que nunca trai”. Confúcio.
Templo de Confúcio
Detalhes do Templo de Confúcio

A segunda parada foi no Templo Lamas:

Templo Lamas
Templo Lamas
Templo Lamas
Templo Lamas

Saindo do templo Lamas, peguei o metro mais próximo e fui em direção a Rua Wangfujing (desça na estação Wangfujing). Na verdade, eu desci dentro de um imenso Shopping e não exatamente nessa rua. Com isso dei umas voltas por essa região, que me pareceu bem central, onde havia grande fluxo de pessoas, calçadão e lojas das mais variadas.

Centro de Pequim
Centro de Pequim

Por que não aproveitar sua conexão em Pequim para experimentar um pouco da culinária Chinesa? A rua Wangfujing é ideal para isso. É atração turística para nós ocidentais em razão do cardápio exótico ofertado em suas barraquinhas: insetos, animais marinhos, coisas vivas e mortas estão disponíveis para serem degustadas aqui.

Rua Wangfujing
Rua Wangfujing

Fim da minha conexão em Pequim! Hora de voltar para o aeroporto.

SE VOCÊ NÃO MANJA DAS VPN’S

Faça print das páginas da internet que te digam como se deslocar de um ponto turístico ao outro e do Mapa de Pequim. Assim, você saberá as estações metrô que deve desembarcar para visitar os pontos turísticos desejados.

TEMPERATURA EM PEQUIM

Confira a temperatura antes de embarcar, pois o inverno de Pequim é muito rigoroso. No dia dessa conexão em Pequim, 05/11/2018, a temperatura era de zero graus.

COMO CHEGAR NA PRAÇA DA PAZ CELESTIAL SAINDO DO AEROPORTO

  1. Pegue o Airport Express Train.
  2. Desça na estação DONGZHIMEN, pois ela faz conexão com a linha 2 (azul) do metrô.
  3. Pegue a linha azul e desça na estação QIANMEM.

Post: The Bund: Destino turístico popular de Shangai (China)