Neste dia enfrentei a trilha “mais difícil do Rio de Janeiro”. O fato mais curioso é que eu não havia realizado nenhuma trilha anteriormente na capital carioca. Comecei de fato pela mais desafiadora. A trilha da Pedra da Gávea é o desafio ideal para quem procura por muita adrenalina, aventura e por um dos visuais mais bonitos do Rio de Janeiro.

SOBRE A PEDRA DA GÁVEA

A Pedra da Gávea é uma rocha de granito que sobe 842 m acima do mar, e é considero o maior bloco de pedra a beira mar do mundo. A pedra tem esse nome porque os marujos portugueses reconheciam seu formato como um cesto de gávea. A pedra foi avistada no primeiro dia de janeiro de 1502 pelo navegar Gaspar de Lemos. Ainda hoje é usada como referência por velejadores na costa do Rio de Janeiro.

POR QUE ESCALAR A PEDRA DA GÁVEA?

  1. A trilha mais forte, desafiadora e recompensadora do Rio!
  2. Maior bloco de pedra a beira mar do mundo, dentro da Floresta da Tijuca!
  3. A trilha perfeita para quem quer ver muita adrenalina e também uma incrível vista da cidade!

LOCALIZAÇÃO

A pedra fica localizada no bairro da Barra da Tijuca (faz parte do parque nacional da tijuca), porém o acesso a trilha é feito pelo bairro de São Conrado. O acesso principal fica no final da Estrada do Sorimã. A trilha começa no final da estrada – ao lado de um portão verde (conhecido pelo número 936).

Visual para a Barra da Tijuca ao realizar a trilha na Pedra da Gávea
Visual para a Barra da Tijuca ao realizar a trilha na Pedra da Gávea

PLANEJAMENTO

Meu maior erro de toda essa escalada eu diria que foi a quantidade de água que levei comigo. De modo que me causou agonia em uma boa parte da escalada. Eu tinha comigo apenas 1 litro de água, e isso é inadmissível, ainda mais diante de um calor escaldante e sol forte. Então levem muuuita água. Dificilmente alguém vai lhe ceder água na trilha, afinal todo mundo controla isso e carrega consigo somente o essencial. Mas por que o essencial? Simples, a quantidade de água pesa muito na mochila durante a trilha. Leve 3 litros, essa é a quantidade de água suficiente. Também leve algumas frutas, alimente-se leve para não atrapalhar seu percurso. Leve água, maça, banana. Realize a escalada com roupas leves, confortáveis, um tênis com boas garras, protetor solar e repelente de mosquito caso você seja alérgico a picada de insetos. E lembre-se: não deixe lixo na trilha.

Eu não utilizei nenhum guia na escalada, mas você pode optar por fazer a trilha guiado por um. E isso vai lhe garantir mais segurança e tranquilidade, pois o guia utilizará os equipamentos corretos e também saberá todos os melhores caminhos. Contrate um guia ou tenha perseverança que chegará no topo como eu fiz, mesmo sem um guia, só não desista na carrasqueira, o sentimento de frustração de desistir no meio do caminho é horrível, além de cansativo.

PERCURSO

O dia era típico de Rio 40 graus. Sol e muito calor! Pela manhã tomei um café no hotel bem reforçado e fui para a escalada. Minha aventura começou por volta das 9h. Esse foi o horário que cheguei no local de partida da escalada. Ao passar pelo portão de entrada é necessário preencher seu nome e telefone de contato de um parente, afinal de contas, vai que você se perde na mata e não regressa no mesmo dia, não é mesmo?

Mochila nas costas, documento na entrada preenchido e preparação física ok. É hora de começar! No início da trilha existe um painel com o mapa e também o tempo previsível e distância da escalada: 2h30 e 1.670m.

Início da trilha - mapa e informações
Início da trilha – mapa e informações

O tempo que levei para chegar ao topo foi exatamente o previsível.

Dois são os fatores chaves para uma escalada com êxito à pedra da gávea: preparação física e hidratação. Me considero uma pessoa ativa, pratico atividade física diariamente e ao final da trilha meu cansaço era evidente, minhas pernas estavam trêmulas, sem forças. A trilha é de tirar o fôlego! Se você é um pouco sedentário, melhor não se arriscar.

Início da trilha da Pedra da Gávea
Início da trilha da Pedra da Gávea

CARRASQUEIRA

Ponto crítico da escaldada. A carrasqueira localiza-se quase ao final da trilha. É um paredão, quase todo liso, íngreme e assustador com aproximadamente 30 metros de altura – o ponto de maior dificuldade de todo o percurso. Muitas pessoas travam na Carrasqueira, e a dica é subir pela fenda. Minha subida foi pela manhã, mas dependendo do horário (período da tarde) da escalada deve tomar cuidado pois não há sombra na Carrasqueira e a pedra esquenta.

Lembre-se: para chegar até a Carrasqueira, já foi necessário todo o percurso e você já estará beeeem cansado. O risco de se machucar aumenta e todo o cuidado é pouco. Se a adrenalina é o que te move, siga em frente!

NOTA: algumas pessoas já morreram na Carrasqueira, o risco de vida é grande. Existem placas sinalizando isso e se você não estiver muito confiante ou com material adequado para prosseguir, desista! No meu caso, eu estava muito confiante hahahaha. E somente isso, pois eu não estava com nenhum material de escalada. Foi até um pouco de irresponsabilidade minha, mas mesmo assim prossegui adiante ao topo.

Carrasqueira - Pedra da Gávea
Carrasqueira – Pedra da Gávea
Placa informativa na Carrasqueira
Placa informativa na Carrasqueira

CHEGADA AO TOPO

O coração bate forte e é inevitável não pensar: “O Rio de Janeiro continua lindo!”.

A vista é fantástica, e nos permite admirar a Pedra Bonita, favela da Rocinha, Cristo Redentor, Pão de Açucar, praia de São Conrado e Floresta da Tijuca e Barra da Tijuca.

Chegada ao topo - trilha da Pedra da Gávea
Chegada ao topo – trilha da Pedra da Gávea
Visual da topo da Pedra da Gávea
Visual da topo da Pedra da Gávea

RETORNO

O cansaço do retorno é tão evidente quanto o de subida. Você poucos sente suas pernas. Cuide-se para não se machucar!

Descida da Carrasqueira ao retorno da trilha na Pedra da Gávea
Descida da Carrasqueira ao retorno da trilha na Pedra da Gávea