Muitas pessoas têm dúvidas sobre ir ao Chile no verão. Isso porque as primeiras coisas que vêm à mente quando pensamos em fazer turismo pelo país é a cordilheira dos andes toda branquinha, aproveitar a neve no vale nevado brincando e praticando esportes que não temos a oportunidade de fazer no Brasil, assim como degustar excelentes vinhos produzidos na região. A associação do Chile ao clima frio é inevitável. Concordo que o inverno deve ser a melhor época para visitar o país, contudo, a minha boa notícia para vocês é que o Chile também está cheio de atrativos no verão e vale a pena sim visitá-lo neste período – desta forma, podemos dizer que o Chile é um destino que pode ser visitado em qualquer época do ano sem erro.

– Você poderia nos dar exemplos do por que devemos ir ao Chile no Verão, Andressita?

– ¡Por supuesto!

  • Os banhos nas termas do vulcão San José, em meio a cordilheira dos Andes, somente é feito no verão. Primeiro porque o acesso até elas se torna muito perigoso em razão da neve nas estreitas estradas da cordilheira e, segundo, pelas baixas temperaturas de inverno.
  • Curtir o litoral Chileno.
  • Os lugares históricos e pontos turísticos são os mesmos, porém com menos turistas!
  • Vinho se bebe o ano todo, né?

– E os contras?

  • Estive no país na época no réveillon. Nos dias 31/12 e 01/01 praticamente tudo está fechado em Santiago. Então, é preciso se programar com antecedência para não perder nada do seu roteiro!
  • Faz calor de verdade! De 30 graus para cima. Além disso, a umidade do ar é muito baixa. Então o cuidado com a hidratação deve ser constante.
  • Não será possível ver neve, tampouco praticar esportes nas estações de esqui! Ou seja, você não fará os famosos passeios ao Vale Nevado e a Los Farellones, lugares incríveis pra se visitar no inverno.
Rosto Mapuche, Plaza de Armas, Santiago
Rosto Mapuche, Plaza de Armas, Santiago

Observação: meu roteiro fugiu um pouco do tradicional em razão dos imprevistos do feriado de Ano Novo e pelos agendamentos de visitas guiadas deixados para última hora, quando apenas restavam poucos horários disponíveis (não façam isso, principalmente nas Vinícolas e no Palácio La Moneda). O mais importante é que você veja a quantidade de coisas que podem ser feitas num período de 9 dias e consiga adaptá-las da melhor forma ao seu roteiro!

Última observação: aqui no blog escrevi separadamente sobre todas as principais atrações que visitei e os roteiros das cidades por onde passei. O que vou fazer neste post é compilá-los conforme os dias da viagem. Quando você quiser mais informações do local, basta clicar no link do post e pegá-las! Ok?

DIA 1 – CAJÓN DEL MAIPO

Este é um passeio que se faz na região de San José del Maipo para conhecer o Embalse El Yeso, uma lagoa de coloração linda localizada a 2.500 metros de altitude, e as termas do Vale de Colinas, que são piscinas termais de águas vulcânicas. Veja os detalhes em: Cajón del Maipo: Embalse el Yeso com Termas de Colina.

Banhos nas termas do Vulcão San José
Banhos nas termas do Vulcão San José
Embalse el Yeso
Embalse el Yeso

DIA 2 – TOUR EM VINÍCOLA E BAIRRO BELLAVISTA

Escolhi a Viña Santa Rita em razão do tour de bike que se pode fazer pelos vinhedos, além da tradicional degustação e visitas às dependências e locais de produção. Não consegui agendar horário na Concha Y Toro para ir por conta, pois já estavam todos lotados. Antecipe-se!

Relato e dicas do tour de bike na Viña Santa Rita em: Tour Bike and Wine na vinícola Santa Rita.

Vinícola Santa Rita
Vinícola Santa Rita

Após, a minha ideia era ir ao Museu da Memória e dos Direitos Humanos, pois sabia que seria uma visita longa e em uma região (Quinta Normal) na qual não faria outras visitas, já querendo “eliminá-la”. Ocorre que eu fui até o museu e estava fechado em razão de um evento! O resultado disso foi o sobrecarregamento do dia 9. Todavia, ele ficaria perfeitamente encaixado com o dia da Vinícola.

Voltei, então, para o Bairro Bellavista (onde estava hospedada) e aproveitei para experimentar um prato típico Chileno a base de milho chamado “Pastel de Choclo” – que é excelente! Recomendo! Aproveite que você está no Chile no verão e peça um chope local para acompanhar!

Pastel de Choclo
Pastel de Choclo

Também antecipei para este dia a visita a La Chascona, casa do Poeta Pablo Neruda em Santiago. As dicas estão no post: Como ir por conta às casas de Pablo Neruda.

DIA 3 – CENTRO DE SANTIAGO, LASTARRIA E SKY COSTANERA

Comecei o dia assistido a troca da guarda no Palácio La Moneda. Veja os dias e horários desta cerimônia em:  Troca de guarda no Palácio La Moneda, Santiago.

Ainda pelo centro e para aproveitar o último da útil do ano passei nos seguintes locais:

  •  Museu de Arte Pré-Colombino.
  •  Calle Bandera.
Calle Bandera
Calle Bandera

À tarde foi dedicada ao Bairro Lastarria. Passei nos seguintes pontos:

  • Cerro Santa Lucia.
  • Museu de Bellas Artes.
  • Museu de Artes Visuales.
  • Empório La Rosa.
Cerro Santa Lucia
Cerro Santa Lucia

O fim do dia foi no Sky Costanera, maior edifício da América Latina. O objetivo era ir no final do dia mesmo para assistir ao pôr sol lá de cima. Porém, além do cansaço por ter sido um dia com muitas atividades, o pôr do sol no Chile no verão é somente depois das 21h – então deixei o Sky Costanera por volta das 20h. No Sky há um imenso shopping, aproveitei que estava nele para jantar na praça de alimentação.

Saiba mais sobre o Centro histórico, Bairro Lastarria e Sky Costanera em: Roteiro de Santiago: pontos turísticos para até 5 dias.

Vista do Sky Costanera
Vista do Sky Costanera

DIA 4 – CENTRO DE SANTIAGO, PROVIDÊNCIA E LOS DOMINICOS

Comecei o dia participando do Free Walking tour pelo Centro Histórico de Santiago. Depois, me dirigi ao bairro providência. A ideia era conhecer os Parque Bicentenário e Parque das Esculturas. Porém o primeiro fica longe para ir a pé. Então, conheci o Parque das Esculturas, onde há em exposição permanente 40 esculturas de grande porte e, para finalizar, já que estava perto do metrô, fui até o Pueblito Los Dominicos, local em que há uma grande feira de artesanatos Chilenos – mas estava fechada por ser véspera de ano novo!

O jeito foi voltar para o hostel e descansar para a virada!

Veja como funciona o Free Walking Tour e que fazer no Bairro Providência em: Roteiro de Santiago: pontos turísticos para até 5 dias.

Post: Como é passar o réveillon em Santiago de Chile.

Catedral de Santiago, Plaza de Armas
Catedral de Santiago, Plaza de Armas
Igreja no Pueblito Los Dominicos
Igreja no Pueblito Los Dominicos

DIA 5 –  CERRO SAN CRISTÓBAL E PARQUE BICENTENÁRIO

O cerro San Cristóbal era a única atração aberta em Santiago no dia 01/01/18. E não poderia ter sido mais perfeito: dia ensolarado e sem nuvens! O Cerro San Cristóbal fica no Parque Metropolitano de Santiago, com a entrada principal no bairro Bellavista.

O cerro tem 880 metros de altitude e fornece uma visão é incrível de Santiago: 360 graus de um visual de tirar o fôlego.

Vista do Cerro San Cristóbal
Vista do Cerro San Cristóbal

A subida pode ser feita em teleférico, funicular, ônibus e até mesmo a pé ou de bike – para essas duas últimas opções não é preciso pagar nada. No topo do cerro também está o Santuário de Imaculada Concepción com uma estátua de 22 metros.

Passeio de teleférico no Cerro San Cristóbal
Passeio de teleférico no Cerro San Cristóbal

Mais informações sobre a visita ao Cerro San Cristóbal em: Roteiro de Santiago: pontos turísticos para até 5 dias.

À tarde fomos para Parque Bicentenário. Local que eu indico sem medo! Faz muito calor no Chile no verão e uma das alternativas dos chilenos para fugir dele é ir para os parques, que são muito bem cuidados em Santiago. Veja o post: Dicas de Santiago: Parque Bicentenário – o melhor!

DIA 6 – VALPARAÍSO

Hora de mudar de ares, ver um pouco de arte e conhecer o oceano pacífico! Veja o roteiro de Valparaíso em: Vamos a pé? Roteiro de um dia em Valparaíso.

DIA 7 – VIÑA DEL MAR

Indo para o Chile no verão, será possível até curtir as praias de Viña del Mar! Veja o roteiro feito nessa cidade em: Litoral Chileno: roteiro de um dia em Viña del Mar.

A surpresa de Viña del Mar ficou por conta do Museu Fonk, veja as razões em: O meu primeiro Moai! Museu Fonck, Viña del Mar.

DIA 8 – ISLA NEGRA E CENTRO DE SANTIAGO

Isla Negra era a casa de praia do poeta Pablo Neruda e local onde ele e sua esposa Matilde estão enterrados. Fica na região de El Quisco. É a casa mais distante para se visitar, contudo a mais espetacular.

As informações sobre a ida a Isla Negra estão no post Como ir por conta às casas de Pablo Neruda.

Isla Negra, casa de praia de Pablo Neruda
Isla Negra, casa de praia de Pablo Neruda

Já em Santiago, como eu não tinha almoçado, fui atrás de uma indicação de restaurantes chamada La Picá de Clinton. Picá = bom, bonito e barato. E de Clinton porque o ex-presidente americano tomou uma coca-cola neste local quando saiu do teatro municipal, que fica ao lado. O restaurante está cheio de fotos de Clinton e nos banheiros estão as fotos dele e da Mônica Lewinsky para diferenciar homens e mulheres! Ah, a garrafa de coca-cola ainda está lá em exposição, assim como o garçom que atendeu Clinton em 1998, que por sorte, também me atendeu!

Banheiros em La Picá de Clinton
Banheiros em La Picá de Clinton

DIA 9 – SANTIAGO: DIA DESTINADO À HISTÓRIA

Sabe quando se precisa fazer tudo que ainda não fez em um único dia? Foi este! Veja por onde andei:

Estádio Nacional de Chile: recomendo a visita para aqueles que, além do interesse pelo futebol, querem conhecer mais sobre a ditadura chilena. Digo isso porque o Estádio Nacional é um sítio de memória, local que serviu de centro de detenção e tortura – o qual mantém-se preservado desde 1973. Saliento: é uma visita pesada. Post: Visita guiada ao Estádio Nacional de Chile.

Estádio Nacional de Chile
Estádio Nacional de Chile

Museu da Memória e dos Direitos Humanos: É um museu muito moderno, grande e que vai demandar pelo menos duas horas para visitação. Aqui você saberá tudo sobre o período mais triste da história Chilena, como foi o golpe militar e os anos seguintes de ditadura. Faça a visita com os audioguias, caso contrário você perderá muito conteúdo e ficará meio perdido no meio de tanto conteúdo. A entrada é gratuita.

Já no centro de Santiago:

Almoço no Mercado Central: Visitar o mercado das cidades sempre está incluso nos meus roteiros, de uma certa forma, eles retratam a cultura e as tradições da cidade. Almoçar no mercado Central de Santiago é uma boa forma de conhecê-lo, há boas opções de restaurantes lá, muitos deles com a especialidade de frutos do mar.

Museu histórico Nacional: é o clássico museu. Pinturas, roupas e objetos antigos que contam a história do Chile. A entrada é gratuita.

Visita guiada ao Palácio La Moneda: esta é uma visita que requer agendamento prévio. Veja como agendar e o relato da visita em: História viva: visita guiada ao Palácio La Moneda.

Pátio do Palácio La Moneda
Pátio do Palácio La Moneda

Pensa que acabou? Que nada! Ainda teve mais um Pub Crawl à noite para curtir o bairro Bellavista! Não coloquei lá no início, mas a vida noturna de Santiago também é um dos pontos positivos de estar no Chile no verão, pois ir para balada com temperaturas negativas é ruim pra caramba! “…y bailé, hasta que me cansé, hasta que me cansé bailé… y me ena-na-namoré…”

COMO EU FUI PARA O CHILE

Na verdade, esta viagem teve duração total de 13 dias. Isso porque fui e voltei do Brasil do Chile de ônibus. Para saber mais sobre como funciona esta viagem acesse:

ChileBus: como é viajar de ônibus do Brasil ao Chile.

O Chile é um destino completo! Por isso eu repito: vale a pena sim ir ao Chile no verão. Há muitas opções de entretenimento, locais históricos e paisagens bonitas! Não há neve, fato, mas o lugar é tão rico em belezas naturais e atividades que você não sentirá falta dela! Eu fui muito feliz lá, foi uma viagem que me acrescentou de mais – espero que você sinta o mesmo. E um último alerta: é impossível não se apaixonar por este país!

Hasta luego, Chile!

HOSPEDAGEM

Eu me hospedei no Kombi Hostel, no Bairro Bellavista. Nele é possível encontrar uma galera animada e super afim de fazer amizade, no melhor estilo Party Hostel. A localização é excelente, no coração do bairro mais boêmio de Santiago! Dele é possível ir caminhando para o centro e para o Bairro Lastarria.

Reservando sua hospedagem no Kombi Hostel via Booking.com você estará ajudando este Blog a se manter, pois receberemos um pequeno percentual do valor da sua reserva, e não pagarás nada a mais por isso!

Veja também nossa dica de hospedagem em Valparaíso:  Escarabajo Hostel.

Gostou da nossa viagem ao Chile no verão? Clique aqui e veja outras dicas sobre destinos na América do Sul.