É impossível não começar dizendo o quanto foi incrível passar alguns dias na selva Amazônica. É uma experiência única, diferente de tudo que vivenciei nas andanças pelo Brasil. A Amazônia, ou o fato de estar na selva, mexia muito com a minha imaginação, não sabia o que esperar e tinha até um pouco de receio de ir sozinha. Mas o fato é que foi fantástico, vivi momentos inesquecíveis.

O que fazer na Amazônia? Viver momentos inesquecíveis
O que fazer na Amazônia? Viver momentos inesquecíveis

Não é que a Amazônia exija uma preparação, mas você deve ter em mente que está indo para um destino aventura, no qual enfrentará atividades cansativas, sem conforto e com um clima diferenciado. Claro, há as opções 5 estrelas na selva que te possibilitarão umas férias de descanso perante a natureza, mas não era o que eu buscava. Queria estar o mais próximo da cultura local possível.

E o choque cultural foi grande: a forma como se vive, se comunica e se desloca são exemplos de coisas inimagináveis para os nossos tão corridos dias nos centros urbanos. Não há wi-fi, tampouco TV à cabo. A energia elétrica é gerada com gerador. Banho quente, nem pensar! Também nem precisa! Carros…. impossível, somente barcos! Quer ir no mercado, na igreja ou visitar amigos? Só de barco!

Outra coisa que preciso mencionar é acerca do clima. Fui em novembro/2017, já não era mais verão, porém as temperaturas sempre batiam na casa dos 30 graus durante o dia. E como é muito úmido, o desgaste torna-se ainda maior durante as atividades.

1 – PESCAR PIRANHA

É impressionante a quantidade de piranhas que há nos rios amazônicos! No passeio o guia nos ensina a preparar a isca e nos dá uma noção de pescaria. Demorei um pouco para conseguir a primeira piranha, mas depois de várias tentativas peguei o jeito. Experiência aprovada!

Pescaria de Piranha
Pescaria de Piranha

O pior de tudo foi que eu havia tomado banho no mesmo rio durante o dia sem nem ao menos lembrar das piranhas (até o momento em que elas me lembraram!). Conforme o pessoal da pousada, fui mordida pelo Peixe-cachorro, mas é impossível não pensar que foi uma piranha. Agora pense num pavor! Eu realmente caminhei sob as águas!

Mordida do peixe-cachorro
Mordida do peixe-cachorro
Pescaria de piranhas parte 2
Pescaria de piranhas parte 2

2 – FOCAR JACARÉ À NOITE

Para avistar os jacarés é preciso fazer um passeio de barco à noite. A iluminação fica por conta da lua e da lanterna que o guia utiliza para focar o jacaré. Na foto abaixo você pode ter uma ideia de como é o rio à noite.

Saída para a focagem dos jacarés
Saída para a focagem dos jacarés

Para achar um jacaré é simples: basta ver os olhinhos brilhantes no escuro. E gente, no Rio Juma avistamos muitos jacarés!

Focagem do Jacaré
Focagem do Jacaré

Nosso guia capturou um Jacaré-açu, espécie mais abundante da região amazônica. Os guias focam o jacaré com a lanterna para cegá-los e os agarram com as mãos. Loucura! Claro que já estão acostumados, mas de toda forma é muita coragem! O animal foi prontamente devolvido à natureza sem maus tratos.

O pior de tudo (parte 2) foi pensar que no mesmo rio com piranhas que tomamos banho durante o dia também havia jacarés!

3 – VER O NASCER E O PÔR DO SOL

Deixo-os com as fotos:

Nascer do sol na Amazônia
Nascer do sol na Amazônia
Pôr do sol na Amazônia
Pôr do sol na Amazônia

4- CAMINHAR PELA SELVA AMAZÔNICA

Agora é o momento de caminhar pela selva amazônica tendo contato puro com a natureza. É a oportunidade de aprender um pouco sobre sobrevivência na selva, conhecendo plantas medicinais, árvores que fazem barulhos para a comunicação, se pendurar num cipó e outras coisas culturais dos nativos. Descobrimos até um galho de árvore que serve de cigarro. Tem bastante coisa interessante!

Enorme espécie de árvore passamos no caminho
Enorme espécie de árvore passamos no caminho

No entanto, é um passeio muito desgastante. A previsão é de que a trilha dure de 3 a 4 horas. Mas isso dependerá da empresa que estará te levando.

Outra coisa que aprendi foi que o tipo de formigueiro da foto abaixo é um repelente natural. Você coloca a mão nele e as formigas vão tomando conta do seu braço, largando uma substância que repele outros insetos. Eu não quis testar!

Formigueiro: repelente natural
Formigueiro: repelente natural

Duas informações um pouco decepcionantes:

1-  É muito difícil ver animais, ao escutarem nossos barulhos, se escondem na mata (no máximo macacos e preguiças). Animas de grande porte mais difícil ainda, pois habitam regiões mais remotas da Amazônia.

2- A mata, pelo menos na região que estava, não é fechada como imaginamos. Tenha uma ideia pela foto abaixo.

Caminhada pela Selva Amazônica
Caminhada pela Selva Amazônica

5 – DORMIR EM REDES NO MEIO DA SELVA

Este era meu principal objetivo. Veja o relato desta experiência aqui!

6 – APRENDER A PESCAR COM ZAGAIA

Quando me perguntam qual foi a coisa mais marcante que fiz na Selva amazônica, lembro da pescaria com zagaia. Primeiro pelo fato de sair em um barco pequeno (veja na foto) à noite sem iluminação alguma, navegando no escuro mesmo! Foi diferente do dia da focagem do jacaré, pois estava muito mais nublado.

Segundo porque éramos somente 4 pessoas e não havia nenhum outro barco circulando pelo rio.  Além disso, pela adrenalina de focar o peixe e tentar cravar a zagaia nele. “Zagaiar” é algo extremamente difícil, foram inúmeras tentativas até acertar um peixe!

Aruana pescada com a Zagaia
Aruana pescada com a Zagaia

Para o meu azar, depois que eu acertei o peixe, ele caiu vivo dentro do barco! E a sanguinária aqui o matou sem piedade. Foi o último suspiro de um Aruana. O remorso bateu logo em seguida, mas não foi suficiente para evitar que eu a comesse no dia seguinte.

Aruana, peixe muito saboroso
Aruana, peixe muito saboroso

Outra coisa sensacional vivida nesta noite, foi a descoberta dos peixes voadores! Há muito peixe que salta do nada e dá o maior susto na gente! Alguns até suicidas, pois se atiram dentro do barco!

7 – AVISTAR BOTOS

“Oummm”, essa é a melhor palavra para descrever o avistamento de um boto! Inúmeras vezes durante a estadia os vi, principalmente no início da manhã. Existem dois tipos de botos, o cinza, menor, e o boto rosa, enorme. Os botos cinzas são os mais avistados. Como o avistamento é muito rápido, é quase impossível registrar o momento nas fotos.

8 – CONHECER UMA SUMAMÚMA

A Sumaúma é a maior espécie de árvore da Amazônia. Estas árvores podem viver mais de 100 anos. A do foto, pro exemplo, tem aproximadamente 120 anos. Além disso, alcançam proporções gigantescas. Tenha uma ideia só pela parte inferior do tronco!

Árvore Sumaúma
Árvore Sumaúma

Infelizmente, restam poucas Sumaúmas na Amazônia. Desmatamentos, quedas de raios e antigas crenças contribuíram para o desmatamento delas.

9  – CONHECER O PROCESSO DE  EXTRAÇÃO DO LÁTEX E CONVERSÃO EM BORRACHA

Aqui o guia irá te mostrar como era feito o processo de produção da borracha durante o ciclo da borracha. O processo começa com a retirada do látex da Seringueira, que depois é colocado no molde, passa por um aquecimento e converte-se, então, em borracha.

Processo de conversão do látex em borracha
Processo de conversão do látex em borracha

10 – VISITAR UMA CASA DE CABOCLOS

A visita à casa de caboclos foi legal pelo fato de poder conhecer um pouco do modo de vida dos nativos da selva amazônica. O mais interessante foi poder conversar com os caboclos sobre a vida deles, escutando as histórias do passado e da região.

Casa de Caboclos
Casa de Caboclos

11 – RELAXAR

Muito embora as atividades sejam cansativas em razão do calor úmido é possível sim relaxar. A selva amazônica esbanja natureza e serão inúmeros os momentos em que você poderá ficar curtindo-a. Eu fiquei hospedada na pousada Juma Lake, lá tinham espaço com redes para simplesmente não se fazer nada!

Pousada Juma Lake
Pousada Juma Lake

Na Amazônia a mente se desconecta do corrido cotidiano. Foi uma excelente oportunidade para dar um tempo das redes sociais e das ruins notícias que presenciamos diariamente.

Pousada Juma Lake
Pousada Juma Lake

12 – PASSEAR DE BARCO VENDO LINDAS PAISAGENS

É o que mais se faz na Selva amazônica! Todos os deslocamentos são feitos com barcos. Então você estará sempre passando por locais diferentes e vendo visuais incríveis como os das fotos abaixo. Durante alguns passeios, é possível parar para tomar banho no rio.

Entardecer na Amazônia
Entardecer na Amazônia
Passeio de barco ao amanhecer na Amazônia
Passeio de barco ao amanhecer na Amazônia
Tranquilidade das primeiras horas da manhã
Tranquilidade das primeiras horas da manhã
O que fazer na Amazônia? Ver belezas naturais inesquecíveis
O que fazer na Amazônia? Ver belezas naturais inesquecíveis
Pôr do sol no Rio Juma
Pôr do sol no Rio Juma

13- DICA BÔNUS

Experimentar o guaraná Baré. Sem dúvida, foi o melhor refrigerante que já tomei na vida! Alô pessoal da Antarctica, manda ele para Porto Alegre, por favor!

Guaraná Baré
Guaraná Baré

Esta foi minha experiência na Selva Amazônia! O tour, contando os deslocamentos de ida e volta a Manas durou 4 dias. Foram duas noites de hospedagem em quarto coletivo na Pousada Juma Lake e uma noite na selva. Destino mais que aprovado, muito aprendizado e uma experiência incrível!

Pousada Juma Lake, quarto coletivo e restaurante
Pousada Juma Lake, quarto coletivo e restaurante

Como fazer este passeio: o pacote foi contrato com a empresa Iguana Tour, sediada na cidade de Manaus. No site da Iguana Tour há outras opções de passeios na selva de menor e maior duração, bem como por outras regiões do Estado do Amazonas. Site: www.amazonbrasil.com.br/

Veja outras postagens sobre o Amazonas aqui!

Dica de hospedagem econômica em Manaus: Durante minha estadia pela cidade fiquei hospedada do Local Hostel. Site: www.localhostel.com.br